Advogar em parceria: conheça as vantagens e desvantagens

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Leitura de 8 min

A parceria na advocacia é uma tendência. Com o aumento da demanda visto, por exemplo, durante o período de pandemia, ou até mesmo pelas novas áreas que surgem, o advogado muitas vezes se encontra limitado a certo número de tarefas. 

Advogar em parceria é a melhor alternativa para a resolução desta situação. Ela permite que o advogado adquira novas oportunidades e benefícios para o cliente. No entanto, o assunto traz dúvidas, pois, apesar de muitos benefícios, ela pode trazer algumas desvantagens, se não for ajustada corretamente.

Caso você tenha estas preocupações, este post é para você. Continue a leitura e conheça as vantagens de advogar em parceria, além de aprender como evitar as desvantagens.

1 – VANTAGENS:

1.1 – Alavanque sua atuação

Com a parceria, o advogado consegue diversificar as áreas além daquela de sua atuação.

Isto possibilita que ele aceite mais demandas e, por consequência, amplie seu número de clientes.

Para os recém formados esta vantagem é ainda maior. Muitas vezes o jovem advogado não possui o chamado “nome no mercado”, o que limita sua atuação. Aliás, o ideal é que ele não recuse oportunidades. Com a parceria, consegue trabalhar em mais processos e, assim, se tornar cada vez mais conhecido.

O mesmo raciocínio é válido para escritórios de pequeno porte em relação aos maiores.

Outro ponto importante é que a parceria traz experiência e aprendizado para ambas as partes. Portanto, dada as possibilidades de aceitar mais demandas, adquirir experiência e ser conhecido no mercado de trabalho, advogar em parceria é uma maneira de aprimorar sua atuação.

1.2 – Trabalhe com especialistas da área

Aprimorar sua atuação não é a única vantagem. A parceria permite que o advogado aceite demandas que não são de sua área de especialização, uma vez que poderá repassá-la para um parceiro especialista e mais experiente no assunto em questão e obter melhores resultados.

Principalmente devido à ampliação de áreas do Direito, o advogado não consegue ter autoridade em todas. Logo, a melhor alternativa para não negar o pedido do cliente é passá-lo para um parceiro.

Desse modo, o processo será tratado com excelência e eficiência e, de quebra, o advogado deixará de encarar os colegas de profissão como concorrentes, haja vista que cada um é a autoridade em sua respectiva área e, com a parceria, todos terão vantagens decorrentes dela.

1.3 – Economize tempo

Ao realizar a parceria o advogado economiza tempo, pois não “esquentará a cabeça” na tentativa de elaborar peças de alto nível que não são de sua especialidade.

Repassando a demanda ele poderá ganhar tempo para focar naquilo que tem mais familiaridade, contudo, não deixará de atender a necessidade do cliente que lhe procurou e fornecerá o serviço esperado.

1.4 – Networking

O networking  é muitas vezes considerado a chave para o sucesso na atualidade. Ele permite que você construa uma rede de contatos profissionais e também faça parte da rede de outras pessoas.

Desse modo, o networking é uma maneira de cultivar relações profissionais e aumentar sua presença no mercado de trabalho. Por meio da parceria o advogado ampliará sua rede de networking, de modo que conhecerá novos profissionais, os quais poderão indicá-lo para outros parceiros e clientes, potencializando as oportunidades. 

1.5 – Use a tecnologia a seu favor

Com o advento da tecnologia as distâncias se encurtaram. Por exemplo, uma advogada do Ceará poderá atuar em um processo de São Paulo sem precisar ir até o respectivo estado, por meio da contratação online de um correspondente ou advogado parceiro do local.

Então, o uso da tecnologia permite que você amplie seus horizontes, aceite processos em outras localidades e contacte profissionais de excelência para a realização de parcerias, os quais você não teria oportunidade de conhecer em outros tempos. 

Vantagens de advogar em parceria

2- COMO EVITAR AS DESVANTAGENS:

2.1 – Reciprocidade

Apesar da parceria na advocacia ser repleta de vantagens, podem surgir dúvidas quanto às possíveis desvantagens. Elas existem, mas podem ser evitadas para que sua experiência seja, em primazia, benéfica.

Uma das principais dúvidas é quanto à reciprocidade. Você pode pensar “e se eu me tornar funcionário ao invés de parceiro?”. Isso de fato pode acontecer e apenas uma das partes ser sobrecarregada com a relação que deveria ser plurilateral.

Pois bem,  os remédios para evitar este desconforto são: conhecimento prévio e diálogo. Antes de realizar uma proposta de parceria na advocacia, conheça seu possível parceiro e deixe claro que a relação entre vocês será recíproca e com comprometimento, de modo que, caso isto não ocorra, a parceria será repensada e poderá ser desfeita.

2.2 – Confiança

Outra queixa dos advogados antes de realizar a parceria é: “e se o parceiro oferecer serviços por fora para o meu cliente e, assim, me ‘passar a perna?’”.

A falta de confiança no parceiro pode existir e atrapalhar o sucesso da relação. Por isso, é fundamental conhecê-lo antes de realizar a parceira.

Entretanto, há situações que somente a execução da parceria irá demonstrar a conduta do outro advogado ou escritório. 

Assim, uma alternativa viável é a elaboração de um termo contendo os limites do vínculo, para que nenhuma das partes ultrapasse o liame estabelecido e quebre a confiança da outra.

2.3 – Alcançar resultados de excelência

Outro receio que você pode estar sentindo é de não alcançar os resultados almejados, caso o parceiro não se dedique à causa como faria se fosse sua. Sabemos que isto pode ocorrer e o seu medo de não alcançar os mesmos resultados, caso fosse você fazendo a peça, por exemplo, é normal. 

Mas, quando paramos para pensar com calma, percebemos que a chance disto acontecer é pequena pois, se você escolheu um especialista na área, alguém que se mostrou digno de confiança e trabalha com comprometimento, a probabilidade dele não se dedicar à causa é baixíssima. 

Isto demonstra a importância do diálogo e de conhecer o trabalho do parceiro antes de estabelecer a parceria. Ao escolher um profissional ou escritório que trabalha com inovação, qualidade e comprometimento os resultados serão de excelência. 

2.4 – Remuneração

“E como será a divisão dos honorários?”

Você pensou nisso quando descobriu a parceria na advocacia, né?! Muitos têm dúvidas quanto à divisão dos honorários e temem a baixa remuneração. 

O segredo está no estabelecimento dos termos do contrato de parceria entre escritórios de advocacia, os quais devem estar bem definidos e serem benéficos para todas as partes. Porém, não se esqueça que com a parceria os lucros vão além dos honorários da ação em questão. Ela proporciona crescimento profissional, aprendizado e oportunidades fundamentais, e, é claro, a remuneração!

Como evitar as desvantagens de advogar em parceria

CONHEÇA O PROGRAMA DE PARCERIA DA CHC ADVOCACIA

Vimos o quanto a parceria na advocacia é importante e tende apenas a crescer, em um futuro próximo. Caso ela seja bem elaborada e fundamentada no conhecimento, diálogo e dedicação, as suas vantagens são grandes. A tendência é o sucesso!

Se você se interessou pelo assunto, temos certeza que gostará de saber sobre o Programa de Parceria da CHC Advocacia. Nossos valores incluem cooperação, comprometimento, inovação, qualidade e perseverança. Assim, poderemos auxiliá-lo na condução de processo, redação e revisão de peças, audiências e negociações, além de você ter acesso a conteúdos exclusivos.

Gostou deste post e ficou interessado em firmar parcerias jurídicas a fim de se desenvolver no mercado? Entre em contato com nosso escritório. Será um prazer trabalhar ao seu lado!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima