5 desafios do advogado correspondente (e quais podem ser resolvidos com uma parceria!)

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Leitura de 6 min

Os advogados correspondentes são profissionais que realizam atividades para outro escritório. Eles podem realizar protocolos, audiências, distribuições, cópias e acompanhamento de processos, entre outros. Essa é uma atividade bastante atrativa para os profissionais do ramo — especialmente para os principiantes —, entretanto, é fundamental conhecer os desafios do advogado correspondente para exercer o trabalho adequadamente.

Neste artigo, trazemos as 5 principais dificuldades que os profissionais encontrarão durante sua carreira como um diligente e como superá-los. Além disso, também explicamos as vantagens de firmar uma parceria jurídica e como o programa de parceria da CHC Advocacia pode ajudar você. Boa leitura!

Os 5 principais desafios do advogado correspondente

As adversidades estão ligadas ao fato de que o correspondente é um novato na área jurídica e pode ter dificuldades para estabelecer e cobrar honorários, ampliar a rede de contatos, entre outros problemas que são solucionados com um programa de parceria jurídica. Veja mais!

1. Definir o preço real de honorários

Estipular honorários adequados e justos é um desafio para profissionais de todos os ramos. No caso dos correspondentes, primeiramente, eles devem estabelecer seus objetivos, que podem ser:

  • adquirir mais experiência na advocacia e fazer uma renda extra;
  • tornar a advocacia correspondente uma de suas principais fontes de renda.

A opção adequada dependerá do seu perfil e impactará na definição dos honorários. Por exemplo, um iniciante na área pode cobrar valores mais baratos, já que sua finalidade principal é de conseguir experiência.

Já os advogados mais experientes podem cobrar valores maiores, tendo em vista que há contratantes que preferem correspondentes com mais conhecimento na área para realizar atividades mais complicadas.

Quanto à variação de preços, há seções da OAB que trazem tabelas que sugerem preços para diligências. Para as que não o fazem, deve-se conversar com os profissionais da área para saber quanto comprar.

Por fim, é importante não definir honorários excepcionalmente baixos, pois isso desvaloriza a profissão e fomenta uma guerra de preços entre os profissionais.

2. Conseguir se destacar no mercado

O mercado da advocacia está se tornando cada vez mais concorrido, fazendo com que também seja mais difícil conquistar uma boa e ampla rede de contatos. Como os advogados correspondentes geralmente são iniciantes no ramo, eles também se depararão com essa dificuldade.

A melhor solução para o problema é por meio de uma parceria jurídica com um bom escritório, o que permitirá que você expanda sua rede com o decorrer do tempo. Outras táticas que também podem ser usadas são:

  • realizar um marketing digital;
  • ter um site próprio;
  • solicitar recomendações de amigos;
  • cadastrar-se em plataformas especializadas.

3. Conciliar suas atividades

Com o transcorrer do tempo, o profissional consegue ampliar seus contatos e, consequentemente, mais diligências. Entretanto, também será mais difícil conciliar as correspondências com suas outras obrigações e tarefas — como estudos, clientes próprios, etc.

Nesse caso, é preciso ter uma rotina bastante organizada e ser criterioso nas escolhas das diligências, ou seja, deve-se aceitar somente aquilo que poderá ser cumprido. Caso os prazos sejam perdidos ou pedidos, cancelados, a imagem do correspondente pode ser prejudicada.

4. Ter acesso às informações

O fato de a diligência ser um serviço à distância dificulta o acesso a todas as informações dos processos, das partes e outros dados. Por exemplo, pode-se faltar um documento necessário para cumprir uma atividade ou deixar de ser fornecido um dado importante para o processo.

Isso reforça a importância de fazer uma parceira jurídica com um escritório modernizado, organizado e que tenha uma boa comunicação. Caso faltem informações relevantes para cumprir uma audiência, por exemplo, bastará entrar em contato com o escritório para solucionar o problema.

5. Manter contato com os clientes

Outro desafio é se manter em contato com os contratantes depois de realizar a diligência. Isso ocorre pelo fato de os encontros presenciais serem mais raros. Mas isso não significa que o correspondente deve ficar recluso no seu escritório. Atualmente, é possível manter um bom contato à distância utilizando tecnologias como:

  • telefone;
  • email;
  • Skype;
  • Whatsapp, Facebook, Instagram e outras redes sociais.

A parceria jurídica também promove uma melhor comunicação, já que haverá canais diretos entre o advogado e o escritório.

As maiores vantagens de firmar uma parceria jurídica

Muitos profissionais subestimam o advogado correspondente, mas essa atividade traz grandes vantagens para os juristas. As principais delas são:

  • ganhar experiência na advocacia: na realização de diligências, o correspondente se depara com processos judiciais e administrativos de diferentes vertentes do Direito, como tributário, empresarial, trabalhista, administrativo, penal etc.;
  • aprimorar o networking: o advogado se depara com pessoas de diferentes perfis e mentalidades;
  • elevar sua renda: muitos escritórios precisam de muitas diligências, e as mais complicadas têm valores elevados;
  • maior flexibilidade: correspondentes jurídicos podem criar suas próprias rotinas de trabalho, o que é ideal para quem deseja se dedicar a outra tarefa, como melhorar seu próprio escritório ou se dedicar aos estudos.

Mas não basta a vontade para ter sucesso nessa atividade — é preciso ter comprometimento e responsabilidade, aplicar técnicas específicas, além de ter uma boa parceria jurídica. Você também pode acessar gratuitamente o Manual do Advogado Correspondente de Sucesso disponibilizado pela CHC Advocacia e conhecer os segredos dessa área.

O programa de parceria da CHC

A Carlos Henrique Cruz Advocacia (CHC Advocacia) é um escritório moderno e especializado em diferentes ramos e que disponibiliza um programa de parceria ideal para advogados que precisam de suporte para cuidar de suas demandas, incluindo atividades como:

  • condução de processos: consiste no auxílio intelectual do começo ao fim do processo;
  • redações e revisões: a parceria abrange elaboração e revisão de petições;
  • audiências e negociações: trata-se da condução de audiências (de conciliação ou de instrução) e negociação entre as partes, seja por meio de mediações, arbitragem etc.;
  • conteúdos exclusivos: serão fornecidos conteúdos sobre marketing jurídico, inovações e tendências na área, entre outros materiais úteis para o crescimento profissional.

Como se não bastasse, a CHC faz orientações e quesitos para o advogado, o que evita surpresas e inconveniências ao profissional, bem como garante a execução adequada das atividades.

Os desafios do advogado correspondente são obstáculos que devem ser superados por qualquer um que deseja aproveitar os benefícios dessa atividade. Mas com uma parceria jurídica, boa estratégia e responsabilidade, você saberá como fazê-lo.

Interessou-se pelo programa de parceria jurídica da CHC Advocacia? Então, venha trabalhar conosco! Quero ser parceiro!

Manual da Consultoria Jurídica

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima